Avatar heroisdopassado

Os Trapalhões foi um programa de TV de um grupo de comediantes brasileiros, liderados por Renato Aragão.

História
Estreou em 1966 na TV Excelsior de São Paulo com o nome Os Adoráveis Trapalhões. Reunia na sua fórmula quatro tipos: o galã Wanderley Cardoso, o diplomata Ivon Cury, o estourado Ted Boy Marino e o palhaço Renato Aragão, o Didi Mocó, além de Manfried Sant’anna, o Dedé Santana. Com a saída de alguns desses integrantes, e a entrada do sambista participante de Os Originais do Samba Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum e de Mauro Faccio Gonçalves, o Zacarias consolidou-se o grupo que iria mais tarde se tornar um dos quadros mais famosos da TV brasileira.
Na TV Record, o programa conseguia maior audiência em seu horário do que o Fantástico. O programa ainda se instalou na TV Tupi no início dos anos 70, onde passaram a ser chamados Os Trapalhões. E foi para Rede Globo em 1977. Na Rede Globo tinham um programa que era apresentado aos domingos, às 19:00 hs, imediatamente antes do Fantástico e tinham a formação de quatro integrantes permanentes, além de atores convidados. O programa também tinha outros atores fixos que não faziam parte do quarteto principal: Tião Macalé (que imortalizou o bordão "Ih! Nojento!"), Jorge Lafond (que satirizava os homossexuais), Emil Rached (o gigante atrapalhado de 2,23m), Carlos Kurt (o alemão de olhos esbugalhados e sempre mau-humorado), Felipe Levy, Roberto Guilherme (o Sargento Pincel), entre outros.
Após o falecimento de Zacarias e Mussum, o grupo foi desfeito, mas durante algum tempo a Globo exibiu reprises de seus programas. Renato Aragão e Dedé Santana, posteriormente voltaram a atuar na TV, porém sem refazer a dupla.
O programa entrou para o Livro Guinness de Recordes Mundiais como o programa humorístico de maior duração da TV, tendo 30 anos de exibição.

Formação Os Adoráveis Trapalhões
Renato Aragão (Didi Mocó)
Wanderley Cardoso
Ivon Curi
Ted Boy Marino

Formação Os Trapalhões
Renato Aragão (Didi Mocó)
Manfried Sant’Anna (Dedé Santana)
Antônio Carlos Bernardes Gomes (Mussum)
Mauro Faccio Gonçalves (Zacarias)

Discografia: <A HREF="http://pt.wikipedia.org/wiki/Discografia_d%27Os_Trapalh%C3%B5es" TARGET=_top>http://pt.wikipedia.org/wiki/Discografia_d%27Os_Trapalh%C3%B5es</A>

Trapalhões no Cinema
O primeiro filme dos Trapalhões foi realizado em 1965 e contava apenas com a dupla Didi e Dedé. Com a formação clássica (que contava ainda com Mussum e Zacarias) foram realizados 23 filmes do perído de 1978 a 1990. Mais de 120 milhões de pessoas já viram filmes dos Trapalhões, sendo que sete filmes estão na lista dos dez mais vistos da história do cinema nacional brasileiro.

Filmografia: <A HREF="http://pt.wikipedia.org/wiki/Filmografia_dos_Trapalh%C3%B5es" TARGET=_top>http://pt.wikipedia.org/wiki/Filmografia_dos_Trapalh%C3%B5es</A>

Lista
3° lugar - O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão de 1977, com 5,8 milhões de espectadores
5° lugar - Os Saltimbancos Trapalhões de 1981, com 5,2 milhões
6° lugar - Os Trapalhões na Guerra dos Planetas de 1978, com 5,1 milhões
7° lugar - O Cinderelo Trapalhão de 1979, com 5 milhões
8° lugar - Os Trapalhões na Serra Pelada de 1982, com 5 milhões
9° lugar - O Casamento dos Trapalhões de 1988, com 4,8 milhões
10° lugar - Os Vagabundos Trapalhões de 1982, com 4,6 milhões

A Briga
Em 1983 houve uma crise entre os componentes do grupo e Renato Aragão, o que resultou na formação do grupo DeMuZa, que realizou, sem a presença de Renato, o filme Atrapalhando a Suate.
Renato Aragão é frequentemente criticado por não prestar auxílio aos familiares dos seus antigos colegas, que passam necessidade. Em 1998, a família de Mussum (que chega a passar fome) entrou com processo na Justiça contra Renato Aragão, pelo direito do artista de dispor sobre a utilização, distribuição e a reprodução de sua obra: os direitos autorais.
Em um comunicado oficial, Renato Aragão declara que sua empresa nunca deixou de cumprir com suas obrigações contratuais com Mussum, na forma determinada pela Justiça, em benefício de seus herdeiros.
Com a família do trapalhão Mauro Gonçalves, o Zacarias, que morreu em 1990, a acusação é diretamente contra a Globo. Em um processo movido em 1998, os familiares do humorista reividincam uma indenização e o pagamento dos direitos autorais do artista pelas retransmissões do programa Os Trapalhões, entre 1995 e 1998. Segundo o processo, no caso de reapresentação do programa, está claro no contrato que o artista teria de receber da Globo 10% do que lhe foi pago pelo mesmo tempo de trabalho.
No último cálculo, o montante solicitado pela família à Globo chegava a R$ 120 milhões.

Em 2004, Renato Aragão acena com uma reconciliação com o outro trapalhão sobrevivente, Dedé Santana, durante o programa Criança Esperança. Críticos disseram que a reconciliação foi jogada de marketing, num momento em que movimentos homossexuais ameaçaram entrar com processo contra Aragão, por difamação e preconceito.
Já no ano de 2005, Dedé Santana se junta a Beto Carreiro e cria o programa "Comando Maluco" que atualmente é exibido pelo SBT.

Fonte: <A HREF="http://pt.wikipedia.org" TARGET=_top>http://pt.wikipedia.org</A>

Beijos,




On February 14 2007 32 Views



Avatar aha_meier

Aha_meier On 10/03/2007

O Zacarias era o melhor!!Beijos!!


Default Avatar

Ju Emery On 15/02/2007

Ô turminha boa essa.Adorava os Trapalhões.Glauce, ainda bem que vc não está tendo problemas pra logar. Eu continuo nesta batalha. HahahahahahahaBjocas!!Ju &#9829<A HREF="http://www.fotolog.com/juemery" TARGET=_top>http://www.fotolog.com/juemery</A>





Tag - Felicidad
Loading ...